Little WomenLittle Women por Louisa May Alcott

Minha classificação: 4 de 5 estrelas (3.75)

Little Women é um livro em duas partes que retrata fases diferentes da vida de quatro irmãs: Meg, Jo, Beth e Amy March. Na primeira parte, a saída da infância. Na segunda, a vida como jovens adultas. Ambas, hoje publicadas como uma só obra, foram lançadas separadamente em 1868 e 1869. Refletem muito bem o pensamento da época. Possuem a todo tempo um tom exageradamente moralizante, claramente por escolha da autora. Talvez por este motivo a obra não tenha envelhecido muito bem. Apesar disso, o leitor devidamente avisado pode se debruçar sobre a história e tirar dela agradáveis momentos. Momentos que podem remeter à infância em família, aos cheiros, aos barulhos da casa, às dificuldades financeiras, às brincadeiras com as irmãs. Tudo isso é muito bem representado em Little Women e, para mim, foi uma viagem no tempo.

A primeira parte da história realmente me marcou, e o mais surpreendente é que, lá pela metade, eu tive a certeza de que já havia lido este livro (numa época que não havia GoodReads para registrar rs…). Recordei que só não terminei a segunda por ter me desapontado com spoilers envolvendo meu personagem favorito, Laurie, que parece uma pessoa diferente na segunda etapa da história, o que a princípio me desapontou muito.

Se a primeira parte de Little Women é um primor e me cativou profundamente, a segunda teve muitas falhas, especialmente no desenvolvimento da personagem que mais se destaca no primeiro livro, Jo.

O rumo que a história toma, com o desfecho, é bastante questionável, mas não tira totalmente o valor de Little Women, que para mim essencialmente diz respeito à vida, expectativas, dificuldades e anseios das mulheres daquela época. Aos olhos de hoje, uma vida bastante limitada. Mas isso não impossibilita o apego às personagens e – após um tempo – a compreensão de suas escolhas.

O grande problema para mim, sem revelar muito, é que a história promete uma personagem disposta a romper padrões, mas que acaba desistindo de suas ambições e, o pior, por conta de moralismo. Me senti decepcionada com a personagem e enganada pela autora. Mas… a história é dela, não é mesmo? rsrsrs…

Há quem diga que a forma como tudo termina é fruto da teimosia da autora contra seguir os rumos esperados pelos leitores e editores após final da primeira parte. Sendo ou não verdade, não pude deixar de fechar o livro pensando que ele poderia ter sido muito melhor, e realmente inesquecível, se tivesse atendido ao clamor do público.

Todos os meus reviews no GoodReads

Anúncios